Para começar a semana…

Para começar essa semaninha chuvosa aqui em Floripa, resolvi colocar (mais um!) textinho de amor para colorir o nosso dia…

Estamos com fome de amor

Uma vez Renato Russo disse com uma sabedoria ímpar: “Digam o que disserem, o mal do século é a solidão”. Pretensiosamente digo que assino embaixo sem dúvida alguma. Parem pra notar, os sinais estão batendo em nossa cara todos os dias.

Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão “apenas” dormir abraçados, sabe, essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega.

Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção. Tornamos-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a “sentir”, só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós.

Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada no site de relacionamentos Orkut, o número que comunidades como: “Quero um amor pra vida toda!”, “Eu sou pra casar!” até a desesperançada “Nasci pra ser sozinho!”.

Unindo milhares, ou melhor, milhões de solitários em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis.

Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos a cada dia mais belos e mais sozinhos. Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa. Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio, démodé, brega.

Alô gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer ridículos, abobalhados, e daí? Seja ridículo, não seja frustrado, “pague mico”, saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta.

Mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso a dois.

Quem disse que ser adulto é ser ranzinza? Um ditado tibetano diz que se um problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele. Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é out, que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra alguém: “vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo, tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida.

Antes idiota que infeliz!”

Arnaldo Jabor

Espero que gostem!

Beijinhos,

Gabizinha.

Anúncios

During the week…

Foto 1: Gabi usa colar – C0531

Foto 3: Gabizinha usa colar – Breve disponível na loja virtual…

Foto 5: Julia usa anel – A0043

Foto 6: Gabi usa pulseiras – Q0173Q0349 e Q0416

Foto 9: Brinco – B1601 e B1611

Foto 10: Gabizinha usa – A0026 e colar – C0430

Foto 11: Julia usa colar – Breve disponível na loja virtual…

Foto 12: Gabi usa anel – A0009

Foto 13: Julia usa colar – C0418

Foto 15: Gabizinha usa pulseira – Q0390

Foto 16: Gabi usa – C0438 e C0504

Foto 17 – Julia usa brinco – B1601

A simplicidade das coisas simples… Por Pati Jucá

Ontem comecei um livro que na primeira página dizia “ (…) que mania as pessoas tem de achar que vieram ao mundo com uma missão”. De uma forma bem engraçada ele explica que as pessoas precisam crer que carregam um fardo, uma missão, mais ou menos para legitimar sua existência, ser útil ao mundo – e para quê? Pois é, me perguntei para quê? Como pode ser tão difícil entender que a gente SÓ veio para ser feliz. Logo pensei, se viemos para ser feliz, por que existem as coisas chatas?

Ainda sem resposta, voltei ao meu pensamento de felicidade e decidi que vim sem propósito nenhum. Vim perambular entre os vivos para ser feliz e aproveitar o sol enquanto ele ainda me esquenta.

Afim de cumprir meu objetivo, pragmática que sou, resolvi fazer uma lista das coisas que no último final de semana me deixaram feliz. Juntei dez coisas e não me acho muito diferente de vocês, entre dinheirinho no bolso e algumas outras futilidades de menina, a maioria delas é bem banal – água quente na torneira, post it colorido, caderninhos, música nova, caminhar, e por aí vai… Como não existe o bem sem o mal, imediatamente pensei nas coisas que não gosto muito, mas precisam ser feitas. Para elas resolvi usar outra estratégia, fiz outra lista e nela uso a minha razão. Vamos fazer, porque precisa ser feito. Chato ir pra academia no frio? Chato ter que programar as contas do cartão? Chato ter que ir ao super? Chato, chato, chato! Mas precisa ser feito.

Então combinamos o seguinte, razão para as coisas chatas, coração para todo o resto e vamos perambular por aí, pois a verdade é sempre simples e preciso de companhia para ser feliz!

Boa semana gente linda!

Weekend…

Foto 1: Gabi usa colar – C0531

Foto 3: Julia usa colar – C0488

Foto 6: Brinco – B1599 / Pulseira – Q0403

Foto 9: Gabizinha usa Fio e Cruz – C0582

Foto 10: Colar – C0630 / Pulseiras – Q0416 / Anel – A0044

Foto 11: Julia usa colar – C0668

Foto 17: Gabi usa colar – C0605

Obs.: Interessados em peças que não estão disponíveis na nossa online store, favor entrar em contato através do e-mail: contato@gabrielafaraco.com.br.