Oxford Street…

Oiii, gente! Passei aqui rapidinho pra matar um pouco da saudade de vocês e dar uma atualizada sobre a minha viagem…

Tirei algumas fotos na Oxford Street, também conhecida como Shopping Street, que é uma das ruas mais famosas e movimentadas da Europa para fazer compras, é de enlouquecer!!!

Beijinhos,

Gabi

Colar Foo Fighters – C0657

Around… Riviera Francesa – Por Bárbara Vieira da Rosa

 Se existe uma amiga  da qual  posso afirmar que já viajou, praticamente, o mundo todo é a Bárbara. Ô, sorte!!! Resolvi pedir a ela que escrevesse algo sobre algum lugar, desses tantos que ela já foi, que foi especial.

A Babi no mesmo dia respondeu-me tudo e, pelo jeito e carinho com que ela escreveu, fiquei com muita vontade de conhecer esse paraíso! Agora, resta-me trabalhar bastante pra que ele seja um dos meus próximos destinos…!

Quando fui convidada a participar dessa coluna fiquei super lisonjeada.

Primeiro, por ser amiga e fã da Gabi desde pequena e por ter visto a Gabriela Faraco Acessórios nascer e crescer até o sucesso que é hoje, sempre acreditando demais em quão talentosa ela é.

Segundo, porque amo viajar e poderia ficar falando de viagens, lugares e destinos por dias e dias…

Meu primeiro contato com as viagens comecou bem pequeninha, com meu pai sendo comandante da antiga Varig e me “carregando” mundo afora. Depois, por mero acaso do destino, comecei a trabalhar com turismo embarcada em navios de cruzeiro pelos 7 mares (Royal Caribbean International). E esse mundão enorme e lindo me fascina, com seus cheiros, cores, culturas, sabores e belezas…

 

Confesso que foi muito difícil escolher um destino só para falar, mas fechei meus olhos e procurei pensar em algum lugar diferente, muito especial e que tivesse me marcado… Eis que tive certeza que falaria sobre Villefranche-sur-mer, na Côte D’azur – Franca

Que a Riviera Francesa é linda e especial todos sabem, mas esse portinho “pendurado” nas montanhas tem uma beleza sem igual. Villefranche fica localizada nada mais nada menos do que entre as famosas cidades de: Mônaco, Cap Ferrat, Eze de um lado e Nice e Cannes do outro. 

O nome da cidade significa Vila Franca do Mar, pois antigamente neste porto não eram cobradas taxas, nem impostos.

Minha primeira ida a esse lugar maravilhoso foi quase sem querer. Minha melhor amiga Paty Íris e eu estávamos fazendo uma viagem pela Europa e, dirigindo de Nice a Mônaco, ficamos com fome e resolvemos parar naquela cidadezinha para comer um croissant. Feliz escolha! Nos encantamos pela cidade e ficamos por lá algumas horas passeando sem pressa, sem roteiro ou hora. Depois quando “virei marinheira” tive a ótima surpresa de saber que iria ter como um dos portos a cidade de Villefranche, por 6 meses, toda semana, dessa vez, com outra pessoa muito especial também, meu namorado.

Toda semana, saíamos do navio para explorar ou aproveitar alguma parte da cidadezinha e toda vez meus olhos brilhavam ao me deparar com aquela vista.

A cidade é super pequena e aconchegante. Água cristalina, casinhas penduradas na enconta, bistrôs e mini-restaurantes a beira-mar, a língua francesa para dar aquele glamour e gente linda, bem arrumada e feliz. 

A vila tem um forte, “Citadel” que hoje em dia funciona como uma charmosa prefeitura. Tem uma igreja pequena, silenciosa e convidativa que por muitas vezes entramos para simplesmente agradecer a chance de poder estar em lugar tão especial.

Tem uma rua super interessante, construída em 1260! Ela se chama Rue Obscure e como o nome já sugere, ela é obscura e fria. Mas nada mais era do que uma passagem por debaixo das casas, ja que a cidade é construída na encosta.

Existe também uma praia, de pedra, com águas cristalinas e no final da praia, uma trilha de tirar o fôlego (pela beleza e pelo cansaço que dá) que leva até a famosa cidade de Cap Ferrat. Mas quem se interessar (e eu recomendo que vá), se prepare para 3 horas de caminhada.

Meu restaurante preferido se chama “Le Garcons”. Fica no meio dessas casinhas na encosta e é um bistrô com aquele toque que só os franceses tem na culinária. 

De navio, de carro ou de trem, essa cidade tem que entrar na lista dos lugares mais lindos para se conhecer. A atmosfera romântica da Côte D’azur vai marcar para sempre sua viagem!

Acho que as fotos vão falar por si! Espero que tenham gostado… 

Beijos,

Barbara Vieira da Rosa.”

 

Babi, és demais! Adorei as tuas palavras e o jeito que explicasses tudinho… Com certeza, se quiseres, vais participar da nossa coluna sempre!!!

Gabi

 

 

Around… São Francisco – Por Nara Faraco

Hoje quem vai falar aqui pra vocês é a pessoa que mais amo nessa vida: A minha mãe – o anjo da minha vida!

Espero que gostem!

Gabi

Meu pai e minha mãe…

Se fosse para escolher uma cidade americana  para voltar a visitar, com certeza seria San Francisco, é uma cidade agradável, que não parece em nada com uma cidade típica americana. Justamente aí reside a diferença… Colinas cobertas por simpáticas residências construídas em estilo vitoriano, ruas arborizadas como uma cidade do interior, uma ponte pensil pintada de cor laranja, bondinhos circulando pelas ruas com campainhas que fazem tlim-tlim. San Francisco é uma daquelas cidades que quando a gente vai embora o coração parece que se recusa a partir e continua por lá.

Lugar: San Francisco. Fica na Costa Oeste dos EUA é a quarta maior cidade da Califórnia em população. San Francisco encanta pela geografia, arquitetura (com casas vitorianas), música, gastronomia, pelo clima, pelos parques, passeios e pelas boas compras. Tem como cenário o mar do Pacífico, ladeiras e uma ponte que é considerada uma das maravilhas arquitetônicas do mundo a Golden Gate Bridge.

Um hotel: O hotel que ficamos foi o York Hotel, hoje, Hotel Vertigo. Esse hotel foi cenário do filme Um corpo que cai, de Alfred Hitchcock, o Hotel é um hotel boutique em estilo eduardiano em Nob Hill, a três quadras dos bondes (cable car) e a uma curta distância do distrito financeiro de San Francisco, das lojas, teatros, restaurantes e da vida noturna da Union Square.

Um restaurante : Em San Francisco à vários restaurantes maravilhosos, mas o que mais me surpreendeu foi o The  Stinking Rose, localizado em North Beach, famoso San Francisco Little Italy. Tornou-se famoso por celebrar a euforia da culinaria de alho.Tudo lá é a base de alho, desde pratos muito elaborados até o sorvete é de alho.A decoração do restaurante também é toda com réstias de alho. Se você tem compromissos depois do almoço ou jantar, esta seria uma pedida proibida,mas mesmo assim essa seria uma parada obrigatória.

Passeio que deve ser feito: Lombard Street, é conhecida com a rua mais torta do mundo, o seu trajeto é todo em zig e zag.

Fisherman’s Wharf, é um passeio turístico tradicional. Fica no porto da cidade e tem dezenas de restaurantes e tendas que vendem mariscos, camarões, crabs (tipo garanguejo gigante, do Pacífico).

Pier 39, inicialmente um simples cais de pescadores o Pier 39 foi transformado num parque de diversões sobre as águas, onde estão ainda bares, restaurantes, exposição de animais marinhos, lojinhas vendendo artigos típicos, etc etc.

China town, o bairro chinês de San Francisco, na prática um dos maiores bairros chineses do país.

Se você está de passagem marcada para a California, não deixe de reservar alguns dias para conhecer esta cidade tão especial. San Francisco é um lugar que sabe agradar a todos, seja qual for seu interesse ou disposição. É animada e intimista, cosmopolita e provinciana, grande e pequena ao mesmo tempo, conforme o momento ou o lugar. Ou seja é exatamente igual a qualquer um de nós. E principalmente, tem tanta personalidade que nem parece apenas uma cidade, e sim uma pessoa. Aquela pessoa especial que a gente conhece um dia numa viagem e nunca mais esquece.

Around… Roma – Por Ana Luiza Caldeira

Até quem enfim vocês conhecerão a Ana Luiza, minha super amiga, que escreve a coluna “Decór…”.

Como já fiz toda a apresentação dela antes, quando ela começou a sua coluna, não precisarei falar dela, até porque ela dispensa comentários!

Só de ler esse post me bateu um arrependimento gigante por não ter ido visitá-la. Mas tudo acontece no tempo certo e, se Deus quiser, não faltarão oportunidades pra eu conhecer Roma!

Foi amor à primeira vista. Em 2007, estava fazendo um mochilão pela Europa, e quando conheci Roma, me encantei, e decidi que ali passaria algum tempo da minha vida… Prometido e cumprido!! Voltei, trabalhei, me organizei, e um ano e quatro meses depois, lá estava eu, embarcando para um ano e meio na cidade eterna…

Tive a oportunidade de passear muito por essa cidade ma-ra-vi-lho-sa. E tenho muita coisa pra escrever… Mas enfim… Vou dar uma pincelada geral e o melhor dessa cidade: só indo para saber!!!

Roma é um museu a céu aberto, inúmeras ruínas, obeliscos, fontes, estátuas, 365 igrejas… 3000 anos de história, espalhada pelas ruelas e esquinas. Resumindo: grande parte do partrimônio da humanidade está concentrado ali… é lindo de ver tanta arte,  fazendo parte do dia-a dia do romano.

Melhor época pra se visitar: Na minha opinião , é melhor evitar meados de junho a setembro, o calor é infernal…

Qualquer época que você for, vai ser abarrotado de turistas… O legal disso é que você sempre vê alguém com aquela cara de deslumbre olhando pela primeira vez o Coliseu, a fontana de Trevi, o Vaticano…é muito legal!

Quanto tempo ficar: Nunca é o bastante, a única coisa certa é que você vai querer voltar. Por isso, planeje o máximo de dias que você puder em Roma.

Melhor programa: O melhor é caminhar pelas ruas medievais de paralelepípedo lotadas de carros, com o céu marcado pelos domos das igrejas e palácios, cheirinho de pizza no ar, com o barulho dos italianos falando alto.

Não dá pra perder: Coliseu, Vaticano, Fontana de Trevi, Panteon, Vittorio Emanuele, Capitolio, Piazza della Republica, Piazza Navona, Castelo San Angelo, Pizza del Popolo e igrejas… (Se você for ficar 2 ou 3 dias vale a pena comprar o Roma Pass).

Um pouquinho mais de tempo: Visite Termas de Caracalla , Mercado de Trajano, Catacumba da Appia Antica… Igreja Santa Maria Maggiore, San Giovanni.

Faça um passeio pela Villa Borghese,  uma área linda no meio da cidade, com um museu bacana (tem que fazer reserva), e uma vista maravilhosa do Vaticano.

Assista um jogo do Roma no Olímpico, já que assim como os brasileiros, os italianos são doidos por futebol.

E vá ver o Papa no domingo!

Um pouquinho de modernidade: Existem  algumas obras modernas em Roma, porém, a maioria está afastada do centro. Duas obras do arquiteto Richard Meier que adoro: Igreja do Julileu e Arapacis (altar da paz).

Arapacis é no Lungotevere, super bem localizado. Durante o dia veja se tem alguma exposição legal (eu visitei uma linda do Valentino. Caso voce não queira entrar, dá pra espiar o altar da fachada (rio), já que é toda envidraçada. À noite, vale dar uma passada para ver como fica iluminada.

Mangiare: Tá ai uma outra coisa que os romanos sabem fazer bem!!

Alfredo: Via della Scrofa 104. Indescritível, tem que ir!!!! Há 100 anos, ali nasceu a famosa e inimitável receita do “Fettucini Alfredo”. Esta receita se espalhou pelo mundo inteiro para se tornar uma das obras-primas da cozinha italiana. Frequentado por celebridades do mundo todo. Peça é claro o Fettucini Alfredo.

La Carbonara: Super barata e uma delicia. Peça é claro o spaghetti alla carbonara….

Da Giggeto Portico d’otavia:  Para experimentar o melhor da tradicional comida romana e ebraica. Peça muitas entradinhass. Carciofo alla Giudia (melhor alcachofra que se pode comer), e a Mellazane alla Parmeggiana!!! Aproveite e faça um passeio pela parte judaica da cidade, para baixar a comida… rsrsrsr… E, se tiver tempo, visite a sinagoga!

Trastevere: Bairro boêmio da cidade, merece uma visita, ali não faltarão opções, é cheio de restaurantes e barzinhos…

Passeando pela cidade: Piazza a taglio. Em qualquer ruelazinha, você vai encontrar o que eles chamam de Pizza a taglio, ou seja, pedaços de pizza, eles cortam quadrados de pizza e você continua passeando e comendo (atenção, em muitos locais, o simples fato de sentar, faz com que sua conta duplique… )

Gelato: Gelateria Old Bridge (próximo ao Vaticano), típica dos romanos, fica aberta até a meia-noite no verão.

Gioliti, bem no centro, sempre lotado, lá não existe fila…

Cafe PortoFino (Via colla di renzo), prove um Spritz também!

Bica de água: Espalhadas por toda a cidade, pode tomar, é super limpinha, refrescante e de graça!!

Compras: Para gastar ou apenas ver as vitrines lindas…

Via Condotti, lá estão as grifes super caras. No final da rua, a famosa Piazza Spagna, sempre cheia de gente. Vale a visita no Caffé Greco (1760, super bem conservado). Via del Babuino e Via Vittorio Veneto (do filme La dolce vita, Federico Fellini)

Orçamento médio: Coin e Rinascente (galeria Alberto Sordi, teto em vitral muito bonito).

Bem mais em conta: Via del corso, Via nazionale, Via Cola di rienzo.

Hotéis

Bugde largo: Sofitel Villa Borghese e Raphael (ambos com terraços lindos), Bernini Bristol, Intercontinental De la Ville Romana, Majestic, Balbuini ou Boscollo Hotel (na minha opinião, na praça mais linda de Roma).

Para gastar menos e ficar bem localizado: Vatican Garden Inn (próximo ao Vaticano, uma área um pouco mais residencial) ou Trajano Hotel (no coração de roma).

Arrivederci!!

Ana Luiza

Around… Florença – Por Bruna Baratieri

Hoje quem vai escrever no Around é a Bruna, cunhada da Juju. Ela faz faculdade de moda na Udesc, e, em fevereiro deste ano, se mudou para a Itália para cursar dois semestres da faculdade em Florença. A cidade é linda, mas vocês vão poder ver isso por conta própria com as dicas dela…

“Há exatos 33 dias saí de Florianópolis para a minha primeira viagem internacional… O  destino? Florença!

Escolhi morar um ano em Florença (em italiano: Firenze) para cursar dois semestres da faculdade de Moda na Università Degli Studi di Firenze. Outro motivo que me fez escolher a cidade é porque – confesso a vocês – sempre quis morar em um lugar que tivesse mais de um museu e que respirasse cultura (infelizmente Florianópolis não tem muita coisa além de suas belezas naturais, não é?).

Quem vem visitar Florença deve fazer alguns passeios turísticos obrigatórios. O primeiro que fiz foi conhecer a Duomo, uma linda Catedral, bem no centro da cidade, que levou mais de 100 anos para ficar pronta. E você com certeza irá pensar que é uma igreja como tantas outras…

Duomo e Cúpula de Brunelleschi

Duomo e Cúpula de Brunelleschi

Mas, o principal da Duomo não é o que ela tem por dentro e sim, a vista que ela proporciona da cidade. Para ter a visão panorâmica dos telhados vermelhos de Firenze você deve subir nada mais nada menos que 463 degraus para chegar ao topo da Cúpula de Brunelleschi. Garanto a vocês que o exercício físico valerá muito à pena porque a vista é maravilhosa!

Vista da cidade!

Vista da cidade!

Logo ao lado da Duomo tem o Campanário de Giotto (apenas alguns metros mais baixo que a Duomo) que, para chegar ao topo, também é preciso subir muitos e muitos degraus (414 para ser mais exata) e a vista de cima é igualmente maravilhosa.  Aconselho vocês a não fazerem os dois passeios no mesmo dia, é bem cansativo e as pernas não irão aguentar no dia seguinte, digo isso por experiência própria!

Palazzo Pitti

Palazzo Pitti

Depois da vista panorâmica de Firenze, é hora de visitar os museus! O Palazzo Pitti é um gigantesco palácio que foi residência da Família Medici – uma das famílias mais ricas e tradicionais da cidade – e que abriga todo acervo da família separado por diversas galerias. A cada quarto que eu entrava, pensava: “Meu Deus, quanto ouro, quanto detalhe!”. É realmente incrível a quantidade de detalhes de cada cômodo, sem contar os tetos, todos com pinturas, magníficos! Antes de sair do Pitti, não deixe de passear pelo Jardim Boboli, antigo jardim do palácio e hoje o maior parque público da cidade.

Jardim Boboli

Jardim Boboli

A Galleria Degli Uffizi também é uma das paradas obrigatórias da cidade, uma das maiores e mais antigas galerias do mundo. Para visitar esta galeria reserve em média 3 horas do seu dia, porque o passeio é longo. Há muitas pinturas e esculturas para se ver, mas as principais são: A Virgem Entronizada de Cimabue, O Nascimento de Vênus de Botticelli e as pinturas de Caravaggio.

Museo Salvatore Ferragamo

Museo Salvatore Ferragamo

Outro passeio que adorei fazer e recomendo é a visita ao Museu do Salvatore Ferragamo. No museu está exposto o acervo do artista com modelos a partir dos anos 1930, além de estudos de estampas e outras peças de roupas.

Museo Salvatore Ferragamo

Museo Salvatore Ferragamo

Bom, esses foram alguns dos principais passeios que Firenze proporciona aos turistas. Adorei fazer todos eles, é impossível escolher um lugar preferido desta cidade, cada cantinho tem algo de especial e antigo – porque aqui o que mais tem são coisas velhas!

Há muita coisa para falar sobre a cidade, em outro post contarei mais sobre essa experiência de morar em Florença e mostrarei vários lugares que não são considerados “turísticos”, mas que são tão lindos quanto…

Beijocas, Bruna Baratieri.”

Demais, né?

Beijinhos.

Around… Genebra por Manuela Araújo

Bom, hoje quem vai falar no nosso “Around” é uma amiga linda, mas LINDA mesmo, daquelas que paramos pra ficar admirando tamanha beleza… Ela contradiz os preconceituosos que dizem que quem é bonita não é inteligente.

Manu, além de linda, é inteligentíssima, viajada, esforçada e batalhadora – e isso tudo em uma só pessoa! Ela não contou que já trabalhou como modelo em diversos países – e arrasava! Formou-se em direito e foi viajar para se especializar na área, e hoje está em Genebra realizando o seu trabalho…

Em abril ela volta para o Brasil pra casar! Que noiva mais linda que não vai ser…

Vou deixar ela contar um pouquinho pra vocês sobre Genebra!

Vim para Genebra depois de ter finalizado meu Mestrado em Madri, para fazer um estágio na Organização Mundial da Propriedade Intelectual (uma das agências da ONU). Meu contrato era de apenas 3 meses, depois de terminado iria voltar para o Brasil…

Bom, esses 3 meses já vão se tornar 3 anos!

Genebra é uma cidade linda, tem uma arquitetura incrível e é beirada pelo Lago Léman. Apesar de relativamente pequena (cerca de 450 mil habitantes, contando os arredores), Genebra é uma cidade cosmopolita e internacional. Aqui você acaba conhecendo pessoas do mundo inteiro. Por ser a sede da ONU, OMC e de diversas Organizações Internacionais, as missões diplomáticas de todos os países também estão aqui presentes. Além disso, é um centro financeiro, os principais Bancos e fundos de investimentos estão situados aqui.

Acho que me apaixonei por Genebra porque cheguei aqui no verão. Nele a cidade tem um excelente astral, os dias são super longos e existem diversos programas ao ar livre para fazer: um dos meus preferidos é ir ao open air cinema, uma tela enorme que é montada em frente ao lago e cada dia passa um filme diferente Orange Cinema

Apesar de não ter praia, tem o lago onde muita gente aproveita para fazer esportes aquáticos, sair de barco e também para pegar um solzinho. Além disso, todos os dias acontecem shows nos parques e todos os bares montam uma área externa (les terrasses, como chamamos aqui).

Falando nisso, a balada mais legal do ano de Genebra é justamente a Les Terrasses du Gold & Platinum.

O club Gold & Platinum monta toda uma estrutura na beira do lago, muita gente bonita, música boa e bons drinks, isso tudo durante apenas um mês. A festa de encerramento coincide com o encerramento da Fêtes de Geneve (Festival de Genebra, sempre no início de agosto), em que algum milionário patrocina os fogos de artifícios sincronizados com músicas saindo da Ponte Mont-Blanc, é simplesmente o máximo!

Outra balada super posh é o Java Club, que fica no Hotel Kempinski:

Nesse hotel também tem o bar Floor Two, onde o pessoal geralmente vai fazer um esquenta antes de ir para o Java. Para quem gosta de um bar mais descolado e não tão pretensioso, indico o Halles de l’lle.

Restaurante:  Restaurante bom é o que não falta em Genebra, Little Buddha Bar e Miyako para comida japonesa/asiática, Le bar do Hotel La Reserve (comida francesa/internacional), Cottage Café e BG Cafe  (para um almocinho com as amigas), Relais de l’entrecote (é o mesmo de Paris, aquele que tem apenas um prato: salada, carne e batata frita, delicioso), Il Mirtillo (italiano, um pouco mais afastado do centro, frequentado por celebridades) e para quem adora um brunch, o melhor é no café O calme, que fica em Carouge, um bairro que parece um cenário de filme de tão perfeitinho.

Shopping: Genebra não é o melhor lugar para fazer compras porque tudo aqui é caríssimo, mas tem de tudo. As lojas mais caras tipo Chanel, Hermes, Gucci, LV, Louboutin além de diversas joalherias, ficam todas na Rue de Rhone. Já as mais “acessíveis” tipo H&M, Zara, Massimo dutti, Sandro (uma marca francesa, minha preferida), Bongenie e Globus (duas multimarcas) ficam na Place du Molard e na Rue du Marché.

Bom, para finalizar, o inverno! Apesar de o frio ser torturante (pelo menos para mim), o lado bom de estar em Genebra é que todos os finais de semana você pode ir para as montanhas (tem várias opções aqui perto, Chamonix, Courchevel, Verbier, Megeve).

Então, para quem gosta de Ski/Snowboard, é perfeito. Para quem não gosta de esportes na neve, só resta comer fondue de queijo, chocolates e beber muito vinho na frente da lareira.

Obrigada, Manuzinha!

Estou te esperando aqui em Floripa pro teu dia especial!

Around… NYC – Por Jardel Edebran

Hoje o around traz dicas sobre uma das cidades mais interessantes do mundo: Nova Iorque. Pra falar sobre essa cidade eu pedi para o meu  amigo, o  Ja, que  ficou alguns meses por lá fazendo cursos e desvendou muitos lugares bacanas da cidade vir aqui falar pra gente!

Ele é formado em design e administração, começou moda mas resolveu largar, ele já tem  “feeling” para isso. Hoje em dia, montou a empresa Azur Concept Buerau, que presta vários serviços ligados à moda. Vocês poderão conhecer melhor o trabalho dele no site da Azur que, aliás, é lindo e foi ele quem fez: http://www.azurbureau.com

A nossa ligação veio através dos nossos trabalhos. Foi ele, junto com a Camy, que fizeram a produção do nosso último catálogo e desde então ficamos amigos! O Ja é um fofo, amado, lindo, arrumadinho, fashion e cheiroso, tanto que chamo ele de príncipe (Que propaganda, heim Ja?)!

Ele foi super atencioso quando pedi pra ele escrever aqui pro blog! Agora vou deixar ele falar um pouquinho…

Times Square à noite

Times Square à noite

“Nova Iorque é sempre uma experiência renovadora para as pessoas, aqui tudo acontece em velocidade acelerada. Eu sou extremamente apaixonado pela cidade, por toda a vida que corre pelas ruas a cada passo e por tudo que ela pode proporcionar a você.

Desde as caminhadas pelo Central Park até mesmo o furor da Times Square à noite, este é realmente um lugar incrível para se visitar. Coloque sapatos confortáveis para fazer muitas compras e passeios turísticos de tirar o fôlego…

Passeio de Bike no Central Park

Passeio de Bike no Central Park

Um Hotel: Os Melhores são o The Palace, The Surrey e o Plaza, mas estes são hotéis para pessoas que possuem um High Budget. Quem não liga muito para hospedagem pode optar por um hostel ou por hotéis com um custo menor, como o Morning Inn e o Pensilvanya, que são bons e possuem ótima localização e conforto.

Dicas: Vou dar aqui as dicas que interessam: COMPRAS! A melhor loja de roupas e promoções é a Century 21, um amigo meu de Jerusalém descobriu uma que fica no 66st Lincoln Center e que nenhum turista conhece, lá você encontra milhares de marcas como D&G, Alexander MCQueen, Tommy, Marc Jacobs por bagatelas, além da loja ser super organizada e bem mais tranquila para compras. Você também pode visitar a loja Lab Rat que fica no Soho e tem umas camisetas iradas. Lá também tem a Topshop, mas não aguarde preços muito baratos, as roupas são do mesmo valor que qualquer Zara daqui. Aliás, a Zara de NY tem sempre promoções ótimas. As lojas Bloomingdales E Macys dão descontos de 10 a 15% para turistas, por isso pegue seu passaporte e desfrute do seu desconto.

Eu no Metropolitan

Eu no Metropolitan

Restaurantes:

1) KOBEYAKI

É um restaurante que fica em Chelsea, em frente a FIT, é uma delicinha! Tem sushi, bowls, burguers. O rice bowl de camarão é meu favorito e tudo sai por uns 12 dólares.

2) TAO

Esse é em frente ao Lavo, tem um almoço e jantar ótimos, o almoço sai por 23 dólares, tem entrada, prato principal e sobremesa.

3) LAVO

É um dos melhores, tem que fazer reserva se não quiser ficar em pé por horas esperando, depois vira uma super balada.

4) KOREAN BBQ

É o churrasco coreano, fica em Korean Town (K Town) e é super diferente, uma comida bem saudável e gostosa. Dica: Vale provar o smoothie de manga com mas bolinhas estranhas dentro.

5) HARU

Fica perto da Madson Ave, um sushi ótimo! Eu recomendo comer o SHYMPONY, DRAGON E RAINBOW.

Bryant Park

Bryant Park

Parada Obrigatória: Bryant Park, Times Square, assistir Wicked na Broadway, a loja de doces e cafeteria Serendipity e a de brinquedos Fao Schwartz. Visite, SIM, a estátua da liberdade, é super linda.

O que mais te supreendeu: A falta de educação dos Nova Iorquinos, incluindo a sujeira dos locais públicos, a cidade não é nada limpa e não se esforça pra mudar a situação. Tirando isso, Nova Iorque surpreende a cada passeio , seja diurno ou noturno. Aproveite a cidade ao máximo!

O novo World Trade Center

O novo World Trade Center

Espero que tenham gostado das minhas dicas!

Caso tenham alguma dúvida, fico à disposição para responder aqui no blog…”

Querido!!!

Obrigada, Ja!